quinta-feira, 29 de abril de 2010

LEILÃO DE BELO MONTE: ARAPONGAS TERIAM PRESSIONADO JUIZ FEDERAL

Arapongas da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) teriam pressionado o juiz federal Antonio Carlos Almeida Campelo, em Altamira (PA), no processo da disputa judicial em torno do leilão para a definição do consórcio de empresas responsável pela construção do AHE Belo Monte, no Pará. Como se sabe, o juiz Antônio carlos emitiu três liminares suspendendo o leilão, que acabou realizado no dia 20 passado.

Para apurar a denúncia, a Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CRE) do Senado Federal aprovou, hoje, requerimento do senador Heráclito Fortes (DEM-PI) que pede a realização de audiência pública com esse objetivo.

Serão chamados a comparecer à comissão, segundo o requerimento, o próprio juiz Campelo; o ministro chefe do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República, Jorge Armando Félix; e o diretor-geral da Abin, Wilson Roberto Trezza.


Segundo notícias veiculadas nos últimos dias e mencionadas por Heráclito, agentes da Abin teriam tentado interferir em decisões de Campelo a respeito do leilão, em uma atitude considerada pelo senador como "inaceitável em um Estado democrático de direito".

Fontes: Agência Brasil e redação do blog

2 comentários:

bruno disse...

Dr. Antonio Carlos e um Heroi!!

Felizmente nao moro no Brasil...dos corruptos... e infelizmente nao tenho o pode que o joiz federal Antonio Carlos de Almeida tem .Sao pessoas como ele que me fazem acreditar novamente no Brasil.
O Brasil esta virando uma ditadura , so gente ignorante e que nao consegue enxergar isso.
O governo brasileiro e uma vergonha!
Ja viajei pelos quatro cantos do mondo e nunca vi um governo tao insano.

Por favor povo brasileiro...tomem uma atitude, visto que a construcao desta usina nao e nada mais do que uma forma de pessoas corruptas ganharem milhoes e bilhoes...e mandarem para a os paraísos fiscais...o seu dinheiro... já rodeio o mundo e estou certo disso. o mundo precisa da conservacao da floresta amazonica e nao o que este governo imaturo e ladrao esta fazendo.

Vamos cair na real e deixar que os populistas façam lavagem cerebral na gente...sempre dando o peixe e não ensinando a pescar... ai ficamos dependentes... e tempos que votar neles ?? o que o Brasil já inventou ??? Japão cabe varias vezes no brazil...ja foi destruído uma vez...e por muito tempo e mais poderoso do que o Brasil... e nos?? Somente sugando da natureza e nos achando...quanta ignorância.
TA PASSANDO DA HORA DO BRASIL CAIR NA REAL !!

Dr. Antonio , estou com vc!!!! O admiro muito!! Não se deixe corromper! Vamos todos morrer , o que vale e pelo que lutamos

Blog do Piteira disse...

Bruno,

é provável que o fato de você estar fora do Brasil não lhe permita entender o drama que vivem moradores de algumas regiões da Amazônia que não têm acesso à energia elétrica, ou mesmo a necessidade que têm alguns setores da economia regional de energia elétrica como insumo ao desenvolvimento sustentável da Amazônia, indispensável à exploração, de forma sustentável, e verticalizando da nossa produção primária.

Bruno, milhares de famílias vivem na Amazônia na era das lamparinas e lampiões, sem ter o prazer e o direito de ter e usar uma geladeira, um liquidificador ou mesmo lâmpadas para iluminar suas noites e permitir-lhes o conforto mais elementar que possa melhorar sua qualidade de vida.

O Pará e a Amazônia precisam da energia de Belo Monte para tocar seu desenvolvimento. Por falta de energia elétrica, produtos básicos de nossa economia (ferro, bauxita, celulose, madeira, pescado) são exportados para outrs regiões do Brasil ou outros países pelo simples fato de não haver aqui energia elétrica para beneficiá-los. Assim, acabam gerando emprego, renda e melhor qualidade de vida em cidades brasileiras e estrangeiras onde são beneficiados.

Os homens e mulhers da Amazônia têm direito ao desenvolvimento, merecem emprego, renda e qualidade de vida dignos, merecem construir condições que lhes permitam bem estar e felicidade.

Bruno, há, na Amazônia, 260 termelétricas que consomem óleo diesel vindo do Sul e Sudeste do Brasil e que jogam no ar da região fumaça correspondente à produzida pela frota de automóveis da cidade de São Paulo. O "pulmão do mundo" está doente com tamanha quantidade de CO².

Agradeço seu comentário, ele enriquece o debate que aqui tem sido travado em torno do assunto. Este espaço continua aberto aos seus comentários.

José Maria Piteira