segunda-feira, 18 de junho de 2012

VANDALISMO EM BELO MONTE: ATO POLÍTICO ILEGAL E ILEGÍTIMO

Não podemos usar, hoje, as armas políticas que eram legítimas nos anos de chumbo da Ditadura Militar (Foto: contrapontomaraba.blogspot.com)

A sociedade paraense não pode assistir impassível o que aconteceu em Belo Monte, o sábado passado, com a invasão do canteiro de obras do AHE Belo Monte, em Altamira, e atos de vandalismo. Não basta identificar os autores da depredação criminosa, mas também seus responsáves intelectuais.

As imagens publicadas exibem a ação de índios identificados como da etnia munduruku, habitantes do alto Tapajós, em Jacareacanga. Mas não é preciso ouvir os relatos do que foi discutido no encontro do qual participaram, em Altamira, para saber que o vandalismo foi um ato incentivado por radicais da ecoteologia, a maioria integrantes de movimentos contrários ao AHE Belo Monte.

Nos anos 80, fiz parte de movimentos que lutavam contra a ditadura dos militares que tomaram de assalto o poder no Brasil. Pichar muros e paredes de prédios públicos, quebrar ônibus na luta pela meia-passagem, gritar, denunciar e exibir faixas de protesto contra a presença de Paulo Maluf e generais no Círio de Nazaré, entre outros ações, eram atos considerados ilegais, e eram de fato, eram as regras de então. Mesmo ilegais, eram ações legítimas, pois vivíamos um período de exceção, não tínhamos uma democracia, as leis eram arbitrárias.

A partir de 1988, com a vigência da Constituição Cidadã, construímos uma nova Democracia, reinstauramos o Estado Democrático de Direito, vivemos as liberdades pelas quais lutamos por mais de vinte anos. Hoje, todos vivemos sob a proteção e as obrigações de leis democráticas. Não podemos usar, hoje, as armas políticas que eram legítimas nos anos de chumbo da Ditadura Militar.

Assim, ainda que não concordasse com as obras de Belo Monte, não poderia apoiar os atos de vandalismo e depredação praticados por pessoas e movimentos que as condenam. O que houve em Belo Monte, sábado passado, é crime e, como tal, precisa ser apurado e seus responsáveis, indiciados, denunciados e julgados.

Ah, e que não venham com aquela velha e desbotada cantilena de que opiniões como esta não passam de tentativas de criminalizar os movimentos sociais! 

É a minha opinião!

Um comentário:

João Kaba disse...

Ha ainda pessoas com essa visão de intelectual falando aos cidadaõs inocentes obrigando a pessoas fazer isso. Acorda turma não estamos no mundo da DITADURA MILITAR,temos papel que devemos reivindicar nossos diretos não com material cortante, mas sim com a inteligencia multipla que temos através de democracia que foi criado nos anos de 88.
VAmos parar com essa violência, mudar o país Brasil sem violência...