terça-feira, 15 de maio de 2012

CALHA NORTE: LINHÃO TERÁ TORRE DE QUASE 300 METROS

O projeto da Rede Celpa, orçado em R$ 180 milhões, prevê a construção de mais de 700 quilômetros de linha de distribuição

Está sendo erguida na margem direita do rio Amazonas, na foz do rio Xingu, a maior torre de transmissão de energia elétrica da América Latina. Com 295 metros de altura, ela é cerca de 30 metros menor que a Torre Eiffel, em Paris, na França.

A torre do Xingu faz parte da linha de transmissão que vai levar energia da UHE Tucuruí para Macapá, Manaus e as cidades paraenses da margem esquerda do rio Amazonas. A linha de transmissão terá 1.800 quilômetros.

Além da linha de transmissão, que é mais que bem vinda e uma promessa antiga do governo federal, os moradores querem que as obras de construção das linhas de distribuição, sob responsabilidade da Rede Celpa, sejam antecipadas. A concessionária fala em 2017 como prazo; prefeitos e moradores querem para 2015, ou antes.

A deputada Josefina Carmo está em Brasília, de hoje até a próxima sexta, onde foi ao Ministério de Minas e Energia e à bancada federal do Pará para entregar o relatório da audiência pública realizada no dia 19 de abril passado, em Monte Alegre, promovida pela Assembleia Legislativa do Pará, que debateu o assunto.

Durante a audiência pública, os moradores e líderes políticos da região presentes pediram que o governo do Estado, os deputados estaduais e a bancada federal paraense juntem esforços para conseguir a antecipação das obras que vão levar a energia, já rebaixada, às cidades de Almeirim, Prainha, Monte Alegre,Alenquer, Curuá, Óbidos, Oriximiná, Faro e Terra Santa.

O projeto da Rede Celpa, orçado em R$ 180 milhões, prevê a construção de mais de 700 quilômetros de linha de distribuição.

2 comentários:

Anônimo disse...

Vale lembrar que a torre esta sendo erguida tambem no lado esquerdo do rio Amazonas na serra da pobre em ALMEIRIM e não no Xingu como mencionado na materia.

José Maria Piteira disse...

Anônimo,

na verdade, são duas enormes torres, uma em cada margem do rio Amazonas, mas a maior está sendo erguida realmente na margem direita - a da margem esquerda é um pouco menor, com 290 metros. Na matéria, fiz menção apenas à primeira por sua altura recorde. Seria impossível fazer a transposição do rio Amazonas sem torres em ambas as margens. A imagem postada informa que a altura entre os cabos de transmissão e o leito do rio, na vazante, terá 72 m.

Grande abraço!