segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

DINAOR PEDROSO VAI LANÇAR "HISTÓRIAS DA MINHA VIDA"

O lançamento, em noite de autógrafos, será no dia 8 de janeiro de 2016, às 19h, no salão paroquial de São Raimundo, no bairro da Aldeia, em Santarém

Daqui a exatos 25 dias, acontecerá o lançamento do livro autobiográfico "Histórias da Minha Vida", do mocorongo Dinaor Pedroso, músico aposentado, ex-seringueiro, ex-jogador de futebol, ex-pescador, ex-agricultor, ex-operário da construção civil, ex-regateiro, ... Hoje, aos 88 anos, Dinaor continua um excelente contador de causos.

No livro, Pedroso narra sua própria trajetória de vida e os desafios que precisou vencer, entre eles o esforço hercúleo - hoje, quase impossível - de criar e formar os onze filhos que teve com o grande amor de sua vida, Dulce.

O livro é escrito como se seu autor contasse causos em torno de uma piracaia nas praias alvíssimas da vila de Aramanaí, sua terra natal, na margem direita do belíssimo Tapajós.

Destaque especial ganha o período de músico profissional do autor, quando comandou o Conjunto do Pedroso, com apresentações inesquecíveis em cidades e comunidades rurais ao longo do rio Amazonas, entre Parintins e Almeirim, e do rio Tapajós, entre Itaituba e Santarém.

O lançamento, em noite de autógrafos, será no dia 8 de janeiro de 2016, às 19h, no salão paroquial de São Raimundo, no bairro da Aldeia, em Santarém.

Produzido quase integralmente em família, "Histórias ..." teve os manuscritos digitados por Felipe Pedroso e Domitila Pedroso, revisado por Graça Pedroso, editado pelo jornalista José Maria Piteira, e impresso pela Graphitte Editores.

Todos estão convidados.

2 comentários:

BICTA NOITE disse...

Certamente essa edição é rica em causos e histórias de um Mocorongo lutador.

Jose Valentim Mota Figueira disse...

O perfil biográfico desse ilustre mocorongo, revela-se para mim como o de alguém muito próximo e que, certamente, trará a lume historias que me farão recordar facetas da minha vida em Santarém, não só como músico, morador da Aldeia, mas como um caboclo da região em suas andanças por aquelas plagas abençoadas. Tenho, pois, grande interesse em ler as histórias da vida do Dinaor Pedroso, para reviver as minhas!